Descontrole do governo com a Petrobras garante novo aumento da gasolina e do diesel

Descontrole do governo com a Petrobras garante novo aumento da gasolina e do diesel

A Petrobras anunciou no dia, 18/02, mais um aumento dos combustíveis nas refinarias que vai repassar para todo o Brasil. A gasolina vai ganhar um reajuste de 10,2% (R$0,23) e e o diesel 15,2 (0, 34).

A empresa comunicou que mantém seus preços alinhados aos do mercado internacional, o que, segundo a estatal, "é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras".

Greve dos Caminhoneiros e desabastecimento

Os caminhoneiros são os mais prejudicados, já que o diesel nos últimos meses foi o que mais recebeu reajuste. Desde o começa de fevereiro que a categoria faz greve após vazamento de um áudio do ministro dos transportes desqualificando a categoria. A Greve de caminhoneiros já provoca fila para abastecimento de combustível em posto de gasolina de alguns estados como o do Rio de Janeiro. 

 

Descontrole do governo com a Petrobras garante novo aumento da gasolina e do diesel
Enquanto não tem uma solução os caminhoneiros continuam em greve em alguns estados do Brasil

Descontrole do governo

A dolarização do combustível interno feito pelo ex-presidente, Michael Temer (MDB), em 2016 vem promovendo um descontrole dos combustíveis no país. A medida de Temer foi para o governo federal arrecadar mais, funcionou por pouco tempo, já que as demais politicas de valorização do Produto Interno Bruto (PIB) e microeconomia não foram valorizadas como a politica salarial que perdeu seu poder de compra.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), não mudou em nada a politica aplicada por Temer e não tem conseguido apresentar uma solução para otimizar a alta dos combustíveis.

Falácias de Bolsonaro sobre o ICMS

O presidente Bolsonaro tem travado uma guerra com os governadores, o presidente tem culpado o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que representa hoje a maior receita nas contas dos estados.

Os governadores tem rebatido as afirmações do presidente, e acusam ele de não falar a verdade quando usa os meio de comunicação oficial para culpar os governadores do problema dos combustíveis.

"O presidente precisa pensar em como vai substituir essa receita antes de jogar para o povo já acusando o ICMS dos estados, se não a máquina pública para e o povo sofre com a falta dos serviços essenciais", disse o governador do Piauí, Wellington Dias (PT).

Zerando impostos

Ainda na quinta-feira, 18, Bolsonaro anunciou corte de impostos federais da (10%) gasolina e Diesel por 2 meses e (3%) do gás de cozinha.

Quando perguntando "onde vai tirar dinheiro pra cobrir o rombo nos cofres públicos" estimado pelo Instituto Fiscal Independente (IFI) que será de 3,3 bilhões durante todo o período, Bolsonaro não responde, mas deixa a entender que o presidente atual da Petrobras pode ser substituído.