Leia a entrevista de Sá na edição comemorativa da revista Em Foco de 2004

Em abril de 2004 o então empresário José de Sá Vilarouca do PT de Iguatu, cedeu entrevista para o jovem jornalista da revista iguatuense Em Foco, Karlos Rikáryo, na época Sá falou sobre sua trajetória, família, posicionamento político e perspectiva de futuro para Iguatu. Naquele ano ele se preparava para colocar seu nome para concorrer a prefeitura municipal que no decorrer da eleição, decisões políticas partidárias o retiraram da disputa.

Agora em 2022, após a casação da chapa do agora ex-prefeito, Ednaldo Lavor (PSD) e Franklin Bezerra (PSDB), o nome de Sá volta a ser citado pela população iguatuense como sendo uma “boa” e “ótima” opção. Com nome limpo, visão politica estratégica amadurecida e com foco em desenvolvimento local, o nome do petista vem ganhando inúmeros apoios que já o coloca como sendo o nome preferido para a eleição suplementar que está marcada para acontecer no dia 04 de fevereiro de 2023.

O PT prepara uma forte pré-campanha para o pré-candidato Sá, que vem com o apoio do presidente Lula, do novo governador eleito do Ceará, Elmano de Freitas e do ex-governador, eleito senador e novo ministro da educação, Camilo Santana.

A revista Em Foco era uma publicação mensal e tinha na sua linha de frente o Professor José Roberto Duarte, Frei Chico e o empresário Valmir Alves de Oliveira (VP). A entrevista foi vinculada na edição comemorativa de aniversário de Nº 12.

Leia a entrevista na íntegra com texto e fotos da época.

O PT na prefeitura seria bom para Iguatu?

Vindo de uma família de cinco irmãos, filho de farmacêutico e de uma mãe exemplar, Sá Vilarouca nasceu em Icó, em 30/05/55, onde passou toda a sua infância e parte da adolescência, até concluir o ginásio. Foi para Fortaleza fazer o 2º grau, porque em Icó não tinha. Concluindo o ensino básico, prestou vestibular para Engenharia elétrica quando confirmando a fama de um bom aluno, passou na primeira tentativa. Logo depois precisou interromper o estudo da universidade para servir no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) em Fortaleza. Concluindo o curso de oficial da reserva do Exército Brasileiro, foi para Olinda PE fazer estágio, saindo com a patente de 2o Tenente.

Voltando à Universidade, saiu com dois diplomas de Engenharia. Na universidade conheceu sua esposa Cleonice, que fazia faculdade de Economia. Ao concluir o curso superior fez concurso público para a COELCE quando, aprovado em 1980, foi designado para a cidade de Iguatu. Na COELCE, foi chefe de duas divisões, trabalhando em vinte e sete cidades da região. Imediatamente passou a fazer política sindical. Em 1982 começou a militar em um partido recém fundado, o PT. Em 1983, vendeu a casa de morada para abrir com Cleonice, a primeira loja, a Magrella. No início, as dificuldades foram muitas, a lojinha quase fechou.

Aprendendo com a experiência vivida, consolidou o seu negócio, tendo hoje nove lojas, entre o Ceará e Piauí, cobrindo mais de quarenta cidades. Empresário de sucesso, com fama de bom patrão, Sá dirigiu a CDL de Iguatu, onde cumpriu um mandato bastante elogiado pelos companheiros do comércio. Vereador por sete anos, Sá se destacou pela atuação na câmara, tendo assumido, por quase dois anos, a Secretaria de Industria e Comércio na 2º administração de Hildernando Bezerra. Hoje, pré-candidato do PT à prefeitura de Iguatu, Sá fala à revista "Em Foco".

Em Foco - Sá, sabemos que você é um empresário de sucesso. Como tudo isso começou?

Sá - Tudo começou com a venda da nossa casa de morada, em 83. Fizemos daí a primeira lojinha. Errando e acertando, só em 90 conseguimos abrir a 2ª loja. Com a experiência adquirida abrimos, eu e Cleonice, várias outras lojas. Hoje atuamos no Ceará, Piauí e Maranhão. Temos algo em torno de 100(cem) funcionários e atingimos cerca de 40 cidades. Temos lojas a até 700 Km de distância e conseguimos administrá-las sem problemas. Hoje temos o controle da empresa na ponta dos dedos, estamos 100% informatizados. Também damos muita ênfase ao nosso quadro de funcionários. Pagamos salários acima da média, gratificação, cesta básica de ótima qualidade e premiamos os funcionários de melhor desempenho. Agora no início de maio, nove funcionários nossos estarão na Costa do Sauípe (Salvador-BA), em um hotel cinco estrelas, passeando por nossa conta. Também temos um bom programa de treinamento. A rotatividade de funcionários é muito baixa. Acredito que o nosso pessoal gosta de trabalhar conosco.

Em Foco - O Boticário é a maior franquia de perfumaria do mundo. Isso facilitou?

- É muito bom trabalhar com uma marca forte, principalmente se você sabe trabalhar em parceria. Nossa franqueadora consegue trafegar nos dois sentidos: nos repassa as suas orientações e absorve as nossas melhores experiências, o que otimiza o funcionamento da rede. Hoje somos um dos maiores franqueados do nordeste, à frente, em faturamento, de algumas capitais. Temos recebido vários prêmios. Em março último, recebemos um prêmio de destaque no nordeste. Agora em abril nossa loja de Tauá teve o melhor desempenho entre 100 lojas de 4 estados. No ano passado ganhamos vários prêmios de desempenho nas lojas.

Em Foco - E o futuro?

- Hoje nós temos uma infra- estrutura gerencial que me deixa mais livre. Temos ótimos funcionários na área de gerência e supervisão. Por isso me atrevi a voltar à linha de frente da vida partidária, para dar a minha contribuição ao coletivo da sociedade. Mesmo agora, sem mandato eletivo, temos nos empenhado em garantir ações efetivas do Governo Federal em Iguatu. Uma ação que nos parece importante se dá no sentido de garantir a cefetização da Escola Agrotécnica, com a instalação de dois cursos superiores. Outra ação se refere à vinda de um núcleo avançado da UFC para Iguatu.

Em Foco - E a família?

- Sou casado há 25 anos, com Cleonice. Tenho três filhos. O mais velho é Jader, está terminando Administração e fazendo Informática.
Priscila, de 19 anos, faz Engenharia de Telecomunicações e Bárbara, de 11 anos, ainda mora conosco.

Enquanto me entrevistava, percebeu que tanto Jader quanto Priscila me ligaram de Fortaleza. A gente tem muito isso de ficar junto, de conversar, aquela coisa de família. Todos os sábados eu vou ao Icó almoçar com a minha mãe e irmãos. É uma coisa gostosa, aconchegante, que a gente só encontra em família, e que eu não dispenso de jeito nenhum.

Leia a entrevista de Sá na edição comemorativa da revista Em Foco de 2004
Sá com a esposa Cleonice e filhos: Jader, Priscila e Bárbara | Foto: Arquivo Pessoal

Em Foco - Você desenvolve algum trabalho social?

- Apoiamos alguns projetos específicos como o da APAE, uma creche, coordenada por freiras no bairro Tabuleiro, além de outros projetos, também patrocinamos o futebol amador do River Playte de Iguatu e, há 8 anos trabalhamos junto a comunidade do bairro Chapadinha, distribuímos presentes de natal a todas as crianças do bairro. Não é muita coisa, mas é o que podemos fazer, no momento.

Em Foco-Como foi a sua atuação parlamentar?

- Na câmara, apresentamos vários projetos, emendas, requerimentos, etc. Eu era vereador de oposição e, nesse aspecto, procurei valorizar o trabalho de fiscalização e acompanhamento do executivo. Reconheço, no entanto, que no período em que estive na Câmara, fui sempre um dos vereadores mais atuantes, tanto no que se refere a pronunciamentos quanto em relação ao número de projetos/proposições apresentadas. E também, já naquela época, conseguimos, através do nosso amigo Pimentel, várias emendas orçamentárias da união para Iguatu.

Em Foco - Como é o seu trabalho na secretaria de Indústria e Comércio?

- Como secretário de Indústria e Comércio, procurei interagir com a sociedade organizada de Iguatu, fazendo projetos e parcerias em comum. Nós criamos já naquela época um programa de microcrédito em parceria com o Banco do Nordeste (BNB). Fizemos parcerias com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Iguatu (CDL), Sindicato do Comércio, Sebrae e Sine, para lançar o Fogueirão de Iguatu. Também fizemos ações de divulgação do comércio em rádios da região e televisão. Fizemos o projeto e viabilizamos verbas no orçamento da união, através do dep. José Pimentel (PT), para a construção do pólo de lazer do açude Trussu, hoje pronto para ser inaugurado. Formamos também um grupo de apoio gerencial ao micro empresário, que chegou a dar assessoria a mais de cem microempresas, afora outras ações pontuais como, por exemplo, o acompanhamento da implantação e inauguração do pólo calçadista da Dakota. Também fizemos as primeiras reuniões com o secretário Raimundo Viana para discutir a implantação da Madeform. Lembro que, na época, o secretário era completamente contra o apoio do governo do estado a esse projeto. Com dificuldade conseguimos que ele fosse aprovado e implantado..

Leia a entrevista de Sá na edição comemorativa da revista Em Foco de 2004
Sá com o presidente do O Boticário, Miguel Gellert Crigsner | Foto: Arquivo Pessoal

Em Foco- E na CDL?

- Realizamos uma série de mudanças, fortalecemos a informatização, aumentamos e melhoramos a abrangência do serviço prestado aos lojistas e entregamos ao nosso sucessor, Edivane Mathias, um saldo de caixa de mais de R$30.000,00. Hoje ainda faço parte da Diretoria, que tem como presidente o Edivane. Este deu prosseguimento ao trabalho e, em breve, estaremos inaugurando a nossa sede. Será talvez, o prédio mais moderno de Iguatu, com amplas instalações e muito bem aparelhado. O Edivane está fazendo um trabalho fantástico na sua gestão. A CDL tem tido ótimos presidentes, entre eles Valdeci Ferreira, Eleudson Queiroz e Valmir de Oliveira.

Leia a entrevista de Sá na edição comemorativa da revista Em Foco de 2004
José Olavo, Valdecir Ferreira, Edvane Matias, Tonhão e Sá na CDL de Iguatu | Foto: Arquivo Pessoal

Em Foco - Sá, sabemos que você é um dos maiores nomes do Partido dos Trabalhadores em Iguatu. O que levou você a militar na política?

- O País saía de uma ditadura e havia um anseio muito grande de nós, jovens, de fazer uma política diferente. Essa vontade de participação se somava ao fato de que, no interior, havia uma política viciada, corrupta e clientelista que nos constrangia politicamente. Para nos contrapormos a essa realidade foi que decidimos fazer política partidária. Acredito que a formação dada pelos meus pais passando-me valores como ética, respeito, honestidade e generosidade, tenham me influenciado muito na escolha do PT. Embora outros partidos e políticos tentem igualar o PT aos outros partidos, vejo nele uma possibilidade concreta de mudança de referenciais políticas, também em Iguatu.

Leia a entrevista de Sá na edição comemorativa da revista Em Foco de 2004
Deputado Federal, José Pimental e José Genuínu, Sá e o deputado estadual, José Guimarães | Foto: Arquivo Pessoal

Em Foco - Sá, você é um dos pré - candidatos a prefeito de Iguatu, como foi esse processo?

- Há algum tempo eu tenho atuado mais na retaguarda, dando apoio/suporte para o crescimento do PT. Hoje estamos com a sede do partido aberta e temos cerca de 600 filiados. No entanto, na discussão das pré-candidaturas não tivemos um consenso inicial. Foi posteriormente que o meu nome foi colocado, o que garantiu, ao final, o apoio de todos. Embora essa decisão se chocasse com o meu projeto particular de vida - a minha vida estava muito agradável e sossegada, decidi enfrentar essa luta, com um projeto alternativo de administração, que seja amplo, includente e participativo.

Em Foco - Você tem projeto pronto para Iguatu?

- Eu não acredito em prato feito. Agora no dia 02 de maio vamos fazer o nosso planejamento de campanha. Dentro desse planejamento está contemplada a ideia de um seminário onde discutiremos um programa de governo, nas suas várias áreas. Participarão do projeto vários setores e segmentos da sociedade organizada, entre eles empresários, profissionais liberais, técnicos, entidades e trabalhadores.

Em Foco - Por que o PT na prefeitura seria bom para Iguatu?

- Primeiro porque temos uma forma ética/diferente de governar. Segundo porque temos amplas conexões com o governo federal através de vários deputados como José Pimentel e João Alfredo, ministros e do próprio presidente. Se você bem analisar, Iguatu precisa de recursos externos para que haja uma boa administração. Considerando que o estado do Ceará está totalmente quebrado, só o governo Lula poderá dar apoio a Iguatu. E em terceiro lugar porque temos credibilidade junto aos vários setores organizados da sociedade de Iguatu. Essa credibilidade será amplamente necessária na hora de se fazerem as parcerias que poderão deslanchar a futura administração. Mesmo sem ter cargo eletivo, ao longo dos últimos anos, o dep. José Pimentel, para Iguatu. São recursos para casas populares, kits sanitários, balneário do Trussu, abastecimento d'água em comunidades rurais, postos de saúde, saneamento, ambulâncias, etc. E agora, com Lula presidente, tudo fica mais fácil.

Em Foco - O que você espera do governo Lula?

- Eu continuo acreditando na vontade do presidente em fazer um governo de mudanças estruturais da sociedade brasileira. Sabemos o que queremos e sabemos como percorrer o caminho. Ocorre que não se fazem mudanças estruturais do dia para a noite. Não se muda a distribuição num piscar de olhos. O Brasil tem uma dívida secular com o seu povo e, nós do PT vamos começar a pagar essa dívida. Para isso temos feito várias reformas e programas: a reforma da previdência, o "estatuto do idoso", o programa "luz para todos", o microcrédito, o forte apoio à agricultura familiar, o bolsa família. Sem esquecer que, nunca como agora, os bancos oficiais (BB/BNB/CEF e BNDES) colocaram tanto dinheiro a serviço da produção. Em breve teremos resultados substanciais com crescimento econômico e geração de emprego. É também importante reconhecer que nenhum governo anterior agiu com tanta presteza no apoio aos atingidos pelas enchentes quanto o Presidente Lula. Já estão aí disponibilizados R$ 703.000,00 para a construção de cem casas para aquelas que tiveram as suas destruídas pelas enchentes.

Leia a entrevista de Sá na edição comemorativa da revista Em Foco de 2004
Presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, Sá e o Ministro da saúde, Humberto Costa | Foto: Arquivo Pessoal

Em Foco - Sá por Sá.

- Uma pessoa tranquila, caseira, muito família, que gosta de ler, conversar, debater, assistir a filmes, descansar aproveitando a paz do açude Trussu e, nas horas vagas, brincar um carteado com amigos muito próximos. Mas que, ao mesmo tempo, se preocupa com o que acontece à sua volta, por isso mesmo, sente-se responsável por levar uma cidade melhor para os nossos filhos.

Em Foco-Sá, deixe uma mensagem para os leitores da Em Foco.

- Estamos próximos de mais uma eleição municipal. Iguatu é uma cidade grande, complexa, atulhada de demandas reprimidas e, portanto, necessitando de urgência na resposta a essas demandas. Precisamos de um executivo honesto, comprometido, equilibrado, competente, aberto a parcerias com movimento social e conectado ao resto do mundo. Conexão, equilíbrio e parcerias deverão ser as palavras que nortearão a próxima administração. Conexão porque as respostas dos nossos problemas não serão encontradas apenas internamente em Iguatu. Equilíbrio porque o próximo administrador não deverá tentar subtrair uma das principais características do nosso povo, esse espírito de independência tão característico nosso. Parcerias porque o poder público municipal não poderá deixar de perceber que sozinho será impotente para fazer uma boa administração.

Tenho conversado bastante com amigos como Zenir, Amauri, Valmir, Márcio, Francinildo, Edivane, Teles, Eleudson (Elo Amigo), Alcides (Sebrae) e Igrejas, Sindicatos, Associações Comunitárias, Umesi, Unidus, Ami, clubes de serviços e entidades de classes que percebem, claramente, essa necessidade de parcerias. Sinto-me preparado, convictamente, para abraçar a tarefa de promover essa corrente positiva, em favor da nossa cidade e do nosso município. O meu obrigado à Revista Em Foco. Um forte abraço e fiquem com Deus.

 


1000 Caracteres restantes