Agenor e Ednaldo, os candidatos bolsonarista no Iguatu que se colocam como opção de voto

Agenor e Ednaldo, os candidatos bolsonaristas no Iguatu que se colocam como opção de voto

No último dia, 10/09, o ex-prefeito e atual deputado estadual, Agenor Neto (MDB), em sua convenção confirmou o nome de João Alencar como o seu vice na chapa a prefeitura de Iguatu, com essa formação Agenor tenta fazer um marketing nostálgico de passado no presente com a ideia de dizer que deu certo e agora vai dar novamente. O problema é que o candidato não tem assumido se está do lado da democracia ou da ditadura soft do bolsonarismo. Após ser prefeito Agenor foi eleito deputado e em 2018 foi reeleito, mas até o presente momento não se tem contabilizado muita ajuda dos seus dois mandatos para a população iguatuense e essa pergunta tem passado longe de suas respostas a eleitores, opositores e aliados, que mesmo questionando algumas duras ações do passado tem seguido firme no agenorismo.

Ednaldo lavor (PSD) é outro pré-candidato que no dia, 16/09, confirmou em convenção como vice o empresário, Franklin Bezerra (PSDB), que já foi vereador no início da década de 2000. A campanha de Ednaldo tenta polarizar a todo custo com a campanha de Agenor, tem usado um marketing de “homem de bem e simples, usando como símbolo um chapéu”, o problema é que o prefeito que corre para tentar a reeleição esquece que muitas promessas da campanha de 2016 não foram se quer pensadas, muito menos desenvolvidas, a temática “juventude” por exemplo, foi a mais abandona pela gestão, que não teve a mínima capacidade de pensar nem na restruturação do Conselho Municipal de Juventude, que apesar de ser obrigatória na lei a sua última formação foi ainda na metade da gestão de Aderilo Alcantara no ano de 2014. A prefeitura de Iguatu deixou de atuar nas políticas públicas após o racha de forças no início de 2019, quando o grupo do vice prefeito, Marcos Sobreira, foi apunhalado pelas costas e na sequência outra traição de quem o elegeu em 2016, o PT de Iguatu, que inclusive lançou nota explicando a perseguição e o calote que os petistas receberam como obrigado.

O palanque também bolsonartista de Ednaldo é ideologicamente igual ao de Agenor e ambos são projetos que já foram aplicados no município de Iguatu e não geraram nada de desenvolvimento, muito menos emprego e renda, a cidade hoje vive praticamente de sub emprego que empobrece a população que passa a conviver em uma cidade pequena de 100 mil habitantes com problemas de cidade grande e isso precisa ser avaliado e questionado pelo eleitorado, sua vida melhorou em qual projeto? Vale a pena arriscar? Votar em um novo candidato?

Quem vem passando por fora dessa briga toda é o deputado estadual, Marcos Sobreira (PDT), que no dia, 15/09, confirmou um amplo bloco de alianças que envolve PCdoB, PT, PP e DEM, inclusive confirmando o nome do professor Willame Felipe (PT) como vice, ação que confirma que o palanque do ex-presidente Lula no Iguatu é o de Marcos.

A equipe de Ednaldo usou as redes sociais para tentar rebater um trecho da fala de Marcos durante sua convenção, quando ele disse, “Prefeitura entregue a um forasteiro”, se referindo ao secretário de governo, Tacido Cavalcante, que é apelidado dentro da prefeitura de “primeiro ministro” e desde o rompimento de Ednaldo com o vice Marcos é ele que praticamente manda e desmanda na prefeitura, enquanto o prefeito sumiu da vista dos iguatuenses e deixou decisões que deveriam ser tomadas por quem o povo confiou o voto ser tomadas por terceiros, mas tentaram distorcer a fala do jovem deputado dizendo que Iguatu foi feita com forasteiros, uma tentativa bastante infeliz de esconder a incapacidade da gestão com o povo de Iguatu.

Agenor e Ednaldo, os candidatos bolsonarista no Iguatu que se colocam como opção de voto
São ao todo nas eleições municipais 2020 no Iguatu, nove nomes que se colocam a disposição do eleitorado como opção de voto a prefeito

 

Além dos três candidatos a prefeito de Iguatu citados no texto, tem: José Mácio (PSOL), Augusto Correia Lima (PTN), Jarin Antunes (PMN), T.te Juvenal Mulato (PL), Nelho Bezerra (PSL) e Carlos Silva (PSTU).

Por isso as campanhas online de "Não voto em candidatos a prefeitos e vereadores que apoiam Bolsonaro" tem ganhado força junto ao eleitorado e pelo desastre que representa a gestão do atual presidente, nenhum dos candidatos assumirá ou fará qualquer tipo de pronunciamento confirmando isso, mas o povo segue sendo enganado!

 


Ana Galeno
Eles pensam que a gente não sabe que apoiam Bolsonaro e o que ele representa, nem voto no Ednaldo e muito menos no Agenor e estou analisando se voto no Marcos,.mas estou ouvindo e analisando e só sei que não voto em boslonarista.
1
Claudiano
O mais Frustrante de tudo isso é que infelizmente são os que com certeza tem grandes chances de ganharem as Eleições. O Bolsonarismo é um vírus tão perigoso e letal como corona e se espalha rapidamente pelo o interior, Infelizmente nossa esquerda e movimentos sociais que sempre foi frágil na base, agora a situação se complica cada vez mais, só que estamos repetindo o mais erro de 2018,minimizamos a força dos Bolsonaristas, o resultado desta minimização estamos vendo hoje na Presidência da republica e se não agirmos energicamente a partir de agora, sinto em dizer que serão varias derrotas sequenciadas nos munícipios.
1
Nina Souza
verdade
Nossa, confesso que li o texto e voltei no tempo pensando o que foi o passado de Iguatu, opressão, obras inacabadas, desrespeito com os proprietários de terra, bem recente senti na pela a cidade abandonada vivendo mais uma vez de propaganda, vou refletir no meu voto porque nos que já foram não tem condição de confiar de novo.
1

1000 Caracteres restantes