A menina de 10 anos e a violência extrema dos psicocloroquinados do Brasil fascista

A menina de 10 anos e a violência extrema dos psicocloroquinados do Brasil fascista

Do Blog Invertebrado - Razão fanática e doentia, esse é o comportamento que falsos mitos conseguem moldar nas pessoas sem caráter e sem decência, que vivem a se esconder debaixo de sorrisos amarelos e gestos de simpatia limitada.

O caso da menina de 10 anos que foi abusada por quatro longos anos até ficar grávida e que iria fazer um "aborto", foi o suficiente para provocar uma reação dos grupos doentes da extrema direita, os cloroquinados da gripezinha dos 100 mil mortos fake news, dos maiores enganadores da religião fundamentalista e dos homens de bem defensores da família tradicional.

Tais grupos além de usarem as redes sociais para identificarem a menina de 10 anos, que é crime, divulgaram contatos, endereço, escola que estuda e ainda foram para a porta do hospital fazer coro de "menina assassina". Ao saber de tamanha barbaridade comecei a pensar como essa garotinha estaria ao viver isso, não é culpa e muito menos escolha dela, mas está sendo punida por uma sociedade pervertida como se fosse e pelo o que já fizeram com ela, irá se somar igualmente a toda a maldade que o tio (estuprador) fez a ela.

Assista o vídeo abaixo e compreenda o tamanho da barbari com a criança

Eu sou pai de uma garotinha linda que também tem 10 anos, nas minhas conversas com ela a gente sente a pureza das palavras e comportamento, as duvidas, os sonhos, as crenças, as confusões que a sociedade faz e expõe para ela, meu dever como pai tem sido orientar de uma forma educativa e não violenta, como também da mãe dela, dos tios, dos avós e do padrasto e madrasta. No caso da minha filha tem acontecido um processo de educação e construção de um ser humano sadio, que pensa, sofre, é alegre e ajuda, pra falar a verdade, minha menininha de 10 anos é um presente nas nossas vidas.

Será que esse mesmo pessoal que está chamando uma criança de "menina assassina" tem noção de como está a cabeça dela nesse momento? Será que o Deus que eles tanto acreditam é mesmo esse julgador extremista doente e imperdoável? Será que a decência do povo brasileiro tem que seguir um pensamento tão doentio ao ponto de criminalizar uma garotinha inocente e violentada?

Não sei vocês, mas ao pensar nisso tudo, meu coração fica apertado e nem nos meus piores pesadelos queria isso para outra pessoa, muito menos para um criança.

Quando a política é usada com a decência surgem os humanos que atuam numa linha de raciocinio mais coletivo e justo, não se tratar de defender ou não o aborto, mas de pensar nas vitimas e toda sua dor e traumas que está sentindo no "eu dela" nesse momento. O aborto que a menina de 10 anos fez na manhã de hoje, 17/08, está amparado pelo estado de direito e no prazo estipulado pelas nossas leis que foram construídas e pensadas com base nos estudos da ciência e temos que levar em consideração que o nosso dever é sim garantir a vida, mas não a todo e qualquer custo.

Precisamos voltar a debater a descriminalização

O debate do aborto no Brasil não evoluiu, infelizmente, muitos confundem até que o debate era liberar e não descriminalizar o aborto e até que esse debate evolua, jovens como a garotinha de 10 anos tem morrido sem amparo médico. Nessa pandemia o maior desespero de um parente de um doente de coronavírus é ver ele morrer sem ter socorro médico, agora imagina uma menina com idade de 13 anos (idade de maior casos de estupro no Brasil) chegar ao pronto socorro por está abortando e o médico não poder tocar nela? Porque se ele tocar ele responderá criminalmente por assassinato. Não liberando o aborto, mas descriminalizando (como acontece em vários países como: Estados Unidos, Portugal, França, entre outros), mudaria parte da tragédia de crianças, adolescentes e mulheres abusadas e mortas no Brasil.

Estatísticas do Estupro

A garantia da vida no Brasil precisa ser debatida melhor, inocentes precisam ser protegidos e não criminalizados, a política do estrupo, essa sim precisa ser tratada com extremismo e a justiça precisa parar de tratar a vítima como culpada, quem lembra da mulher que foi estuprada no Iguatu e a delegada da mulher disse que ela era feia demais para o estuprador e que a vítima estaria mentindo? Ficou indignado? Agora imagina isso acontecendo em todas as delegacias do país, comportamento que inibi a coragem das vítimas de denunciarem seus abusadores. Não acredita? As estatísticas de crimes por estupro no Brasil são devastadores.

Segundo o 13ª anuário Brasileiro de segurança Pública, lançado em setembro de 2019, registrou 66 mil vítimas de estupro no Brasil, a maioria (53,8%) são meninas de 13 anos, inclusive a cada quatro horas uma menina dessa idade é estuprada no Brasil. De cada dez estupros, oito ocorrem contra meninas e mulheres e dois contra meninos e homens. A maioria das mulheres violadas (50,9%) são negras e 99% dos crimes denunciados não são solucionados.

Então para você que defende armamento, cloroquina, Fake news e trata uma criança de 10 anos como assassina, precisa saber se realmente Deus vai conseguir perdoar você um dia.

Respeitem a dor do próximo!

 


1000 Caracteres restantes